Rover 213 SE: o carro que ninguém quer publicamente, embora todos o desejem secretamente

Pode uma cópia verosímil do Honda Concerto atrair-nos fisicamente ao ponto de o querermos conduzir à primeira oportunidade? Sim, desde que coloquemos de parte a passagem do tempo (e as agruras mecânicas reconhecidas às marcas inglesas) para nos concentrarmos nas suas enormes, ainda que camufladas, qualidades.

O “icónico” Rover 213 SE

Sabemos que muitos de vós se questionaram acerca do motivo para termos escolhido o Rover 213 SE como a primeira ‘prova de fogo’ para o futuro editor de conteúdos do site do CarOnline.TV. E embora o mais provável seja virmos a arrepender-nos disto, julgamos que a melhor forma de vos atrair para o mundo encantado da berlina britânica passa por fazer-vos olhar para ela como aquela miúda irritante que nos desconcertava quando andávamos no 3º ciclo, mas que, na verdade, já no conforto do lar, teimava em não desgrudar das nossas cabeças, sem sabermos bem porquê.

Tal como o Rover 213 SE, as formas estavam longe de serem as mais atraentes, espartanas até; os atributos eram medianos, sobretudo atendendo à idade (no caso do Rover 213 SE, à época em que ele foi lançado). Só que a subtileza e a capacidade de nos desafiar de forma sistemática negligenciavam tudo o resto, ao ponto de já nem sequer nos lembrarmos disso.

O Rover 213 SE produz-nos um efeito semelhante. E é por isso que no CarOnline.TV gostamos tanto dele. É fácil olhar para este membro da fidalguia com desprendimento sem nunca termos perdido alguns minutos a querer conhecê-lo. Mas, depois de darmos esse primeiro passo, as surpresas sucedem-se de forma desenfreada: não é carro para nos dar entrada nas melhores discotecas nos dias que correm, mas o pisar confortável e a cor verde típica da Rover (a que o melhor define, na nossa opinião) garantem entrada direta num clube de squash de acesso restrito, abrindo, ao mesmo tempo, a possibilidade para uma ou mais senhoras respeitáveis nos pedirem uma boleia até aos seus aposentos.

As semelhanças com o Honda Concerto são evidentes

Esta é uma visão chauvinista, admitimos. Mas, do mesmo modo, representativa dos costumes que (ainda) se viviam em 1980 — década em que o modelo foi lançado e conheceu o seu apogeu no mercado português. Só por isso já merecia ser alvo de um “case-study” de relevo, mas não é por esse motivo que gostamos dele.

Gostamos dele porque, repetimos, o Rover 213 SE é como aquela miúda que nos irritava sobejamente no 3º ciclo. O patinho feio que ninguém queria publicamente, mas todos desejavam secretamente, cientes de que os gostos não se discutem e que as sensações provocadas pelo ‘conteúdo’ são, quase sempre, bem mais apelativas do que a envolvente. Tal como no início deste projeto, trazer-vos bons conteúdos continuará a ser a nossa premissa neste novo passo do canal.

NOTA: A resposta é “não”. Eu não sou o novo editor de conteúdos do CarOnline.TV. O escolhido será revelado em breve, como podem constatar abaixo na mensagem do Hugo. Até lá, continuem a entusiasmarem-se com os automóveis e a enviar as vossas sugestões e comentários para caronline.tv@gmail.com 

Editor de Conteúdos – Parte 1
Editor de Conteúdos – Parte 2