Novo Citroën C4 e ë-C4

O novo C4 foi oficialmente apresentado e conta com motores a gasolina, diesel e uma variante eléctrica. Esta nova geração do modelo assume uma postura de crossover e vem substituir o C4 Cactus.

Segundo o CEO da Citroën, Vincent Cobée, este modelo é fundamental para o futuro da montadora francesa. Segundo este o novo C4 apresenta níveis de conforto, inovação e estilo elevados dentro do segmento. O modelo será ainda responsável pela nova linguagem e crescimento da Citroën.

No exterior o novo C4 segue as novas linhas da marca, na frente o “double chevron” estende-se até aos faróis que formam um V, e na traseira a linha do tejadilho cai e assume um formato coupé, que segundo o CEO resulta dos antigos modelos GS e CX. O modelo recebeu alguns apontamentos em cromado, espalhados nos quatro cantos, bem como algumas protecções nas cavas das rodas em plástico preto, herança do Cactus.

No interior o destaque segue para conforto, determinadas versões contam com os famosos bancos “Advanced Seats”, com cores elaboradas e tal como na anterior geração possuem massagens e aquecimento. A tecnologia é um forte componente, visível no painel de instrumentos digital e no sistema de info entretenimento que apresenta um ecrã de 10 polegadas. Compatível com Andoid Auto e Apple CarPlay o novo C4 possui ainda uma câmara HD 3D no espelho retrovisor interno que lhe permite gravar e fotografar, e vários sistemas de segurança como o Active Safety Brake, o sistema de vigilância de ângulo morto ou ainda o nível 2 de condução autónoma.

O conforto continua ainda na suspensão “Progressive Hydraulic Cushion” que vem de série. O sistema é composto batentes hidráulicos progressivos que limitam o curso da suspensão e permitem um elevado conforto aos passageiros.

A nível dinâmico o C4 conta com a conhecida plataforma CMP, independentemente da motorização pretendida. Começando nas propostas mais tradicionais, existem três variantes a gasolina com potências compreendidas entre os 100 e os 155 cavalos, utilizando sempre o mesmo bloco de 1.2 litros Puretech. Para o diesel estão reservadas duas versões, ambas com o bloco de 1.5 litros BlueHDI que varia entre 110 e 130 cavalos. Os modelos com mais potência podem vir associados a uma caixa de velocidades automática de oito relações, enquanto que os restantes contam apenas com a opção de uma manual de seis velocidades. É ainda bastante provável que de futuro surjam versões híbridas associadas a estes motores mais tradicionais.

Tal como anunciado existe ainda uma versão eléctrica do modelo, o e-C4 e apresenta números consideráveis dentro do segmento. Apresenta um motor eléctrico de 136 cavalos e 260 Nm que é alimentado por uma bateria de 50 kWh capaz de efectuar 350 km de autonomia. Os 0 aos 100 km/h são cumpridos em 9,7 segundos estando o modelo limitado aos 150 km/h. O eléctrico apresenta três modos de condução, (Eco, Normal, Sport), que controlam a potência disponível, alterando a intensidade do ar condicionado de forma a aumentar a autonomia. A energia é regenerada nas travagens e desacelerações, e com um carregamento rápido de 100 kW são necessários apenas 30 minutos para alcançar os 80% da bateria. De forma a controlar custos o modelo tem carregador interno de 11 kW e existe ainda uma aplicação para o smartphone capaz de gerir quais as melhores horas para carregar o veículo.

A marca francesa afirma ainda que dentro do segmento é o C4 que apresenta o maior espaço para joelhos nos lugares traseiros, e que o modelo estará disponível para venda no outono. Só fica por saber qual o preço deste modelo em Portugal, que será divulgado em breve.

Qual é a vossa opinião sobre o novo Citroën C4?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *