Aqui está o Nissan Qashqai 2021 e desta vez sem motorizações a diesel

A Nissan abriu as portas à próxima geração do Qashqai e revelou o seu novo e revitalizado interior. A marca japonesa diz que o modelo é mais prático e conta com tecnologia aprimorada, tudo dentro de uma carroceria que é apenas ligeiramente maior do que o modelo da geração anterior.

O Nissan Qashqai de terceira geração é 35 mm mais comprido e 30 mm mais largo do que o seu antecessor que, graças a uma organização inteligente, proporcionou 22 mm de espaço extra para os joelhos dos passageiros do banco traseiro e mais 28 mm para os passageiros da frente. Aumentaram também em cerca de 15mm a altura interior do habitáculo.

A nível de tecnologia também leva um pequeno “boost”. A Nissan equipou um novo sistema de infotainment de nove polegadas, que vem pré-instalado com uma série de serviços conectados, como comparação de preços de combustível, informações de tráfego ao vivo e serviço de localização de câmeras de velocidade, fornecido pela TomTom.

É acompanhado por um painel de instrumentos digitais personalizáveis de 12.3 polegadas e um head-up display de 10.8 polegadas, que pode fornecer informações sobre a velocidade, navegação e sistemas de assistência ao condutor.

Bancos com massagem também estão disponíveis para os passageiros da frente, algo pouco comum no segmento do Qashqai. A marca espera que todas essas melhorias tecnológicas ajudem a capturar compradores que estão a optar por veículos mais versáteis e compactos, oferecendo um nível de conforto semelhante ao do segmento acima.

A carroceria um pouco maior significa que agora há 504 litros de espaço disponíveis, o que é um aumento de 74 litros em relação à antiga geração.

Todas as melhorias do Qashqai são ajudadas pela mudança para uma nova plataforma, já que o modelo mais recente será transferido para a plataforma CMF-C da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi. É uma versão atualizada que antes usa mais aço de ultra-alta resistência, além de ser mais leve, absorve melhor impactos e é cerca 41 por cento mais rígido.

É debaixo capô que as coisas realmente mudam para esta nova geração, no entanto. Diesel está completamente fora do menu, oferecendo apenas motores a gasolina. Os compradores poderão ainda escolher entre dois mild-hybrids de 1.3 litros, além de um modelo híbrido e-Power com de extensor de alcance.

O motor a gasolina mild-hybrid de 1.3 litros da Nissan estará disponível com 136 cv ou 153 cv, e os compradores terão a opção de uma transmissão manual ou automática CVT. Os carros equipados com CVT também estarão disponíveis com tração às quatro rodas.

Os detalhes técnicos do próximo híbrido e-Power da empresa permanecem em segredo, mas a Nissan confirmou que produzirá 185 cv. Nesta configuração, ao invés de alimentar diretamente as rodas, o motor a gasolina é usado para carregar uma bateria que aciona um motor elétrico. Uma versão híbrida plug-in do Qashqai não virá, porém, com a Nissan priorizando a tecnologia e-Power e veículos totalmente elétricos, tal como o novo Ariya, irmão elétrico do Qashqai.

Poucos carros causaram tanto impacto na economia de uma marca como o Qashqai causou na Nissan. Desde o seu lançamento em 2007, a empresa vendeu mais de três milhões em toda a Europa e, algo nada estranho visto a quantidade de Nissan Qashqai com que nos cruzamos nas ruas. Este é sem dúvida um exemplo de sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *