Rimac C_Two o eléctrico de 1914 cavalos confirma modo “Drift”

Depois de provar ao mundo que a Croácia sabe fazer hipercarros, a Rimac veio agora confirmar mais um dado sobre o novo modelo C_Two. Vai ter opção de “deslizar a traseira”.

O C_Two recorre a um monocoque integralmente de fibra de carbono por questões de peso e estrutura. Todo o seu design como o capot e as entradas de ar na frente desempenham funções aerodinâmicas. Todos os flaps ou passagens de ar são funcionais e contribuem para que o carro se mantenha colado ao chão com através da downforce.

A nível de performance o modelo apresenta um motor por cada roda, ou seja um total de quatro propulsores que juntos produzem 1914 cavalos e uns incríveis 2300 Nm. Os seus 0 aos 100 km/h são despachados em apenas 1,9 segundos e até aos 160 km/h só precisa de 4,3 segundos. A velocidade máxima ficou limitada apenas aos 412 km/h. (Nada mau para um hipercarro a pilhas).

A bateria é refrigerada com líquidos radiadores e possui 120 kWh, com uma autonomia máxima de 650 km. Esta disponibilidade parece-me ambiciosa devido a toda a performance que o modelo oferece. Normalmente a tracção é feita nas quatro rodas 50% na frente 50% na traseira, em modo drift, onde funcionam apenas os dois motores traseiros com 100% da tracção, não me parece que seja possível alcançar esses 650 km a fazer piões, mas podemos testar Rimac.

Podes ver aqui um dos grandes concorrentes do novo Rimac

No interior o modelo apresenta bastantes detalhes de luxo, sendo o revestimento em alcantara um deles. Com um elevado número de gadgets o Rimac C_Two é uma autêntico carro autónomo, que até inteligência artificial utiliza e a marca afirma que quando a legislação permitir, os seus donos podem pedir para o modelo andar totalmente de forma independente. Para isto foram necessários bastantes câmaras, sensores, radares e um GPS altamente avançado.

Como não poderia deixar de ser, o famoso extintor “anti-Richard Hammond”, apresentado com o modelo no salão de Geneva de 2018, vai continuar a integrar o interior do modelo. (Ao testar o Rimac Concept One no The Grand Tour, em 2017, o apresentador perdeu o controlo do carro e depois de se despistar de forma aparatosa se incendiou inúmeras vezes.)

A produção do C_Two foi adiada para 2021 por causa do Covid-19 mas os protótipos de teste para homologação já foram produzidos. Ainda que custem mais de dois milhões de euros as 150 unidades disponíveis já foram quase todas reservadas, desde 2018 quando foi anunciado.

A Rimac está a crescer, emprestando baterias para marcas como a Aston Martin ou fazendo parcerias com a Hyundai que tenciona desenvolver um modelo N eléctrico. O futuro eléctrico está a avançar e a Rimac contribui para isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *