Rally Dakar 2022 – o que precisas de saber

O mais desafiante rally do mundo celebra a 44º edição e já vai a meio neste sétimo dia (6ª etapa). A Toyota mantém-se na liderança.

Marcado por altos e baixos o Rally Dakar altera sempre as contas relativamente a vencedores e este ano não está a ser exceção. As etapas são exigentes com tipos de terreno muito diferentes onde em segundos se passa de areia fina do deserto para caminhos de pedra, fazendo com que o desgaste dos pilotos e máquinas seja elevado. Esta imprevisibilidade especifica do Dakar, de não podermos prever quem vai ou não vencer, são grande parte do charme e magia que apaixona tantos adeptos.

Dakar 2022: Contagem regressiva… | AutoSport

O Rally Dakar 2022 decorre na Arábia Saudita e celebra a 44ª edição. Decorre entre 1 e 14 de Janeiro e alcança agora a metade da prova. Esta é a terceira vez que a Arábia Saudita acolhe o evento, com o apoio da Federação Saudita de Automóveis e Motociclos. A prova começou com Ha’il, com mais de 750 pilotos e navegadores, e terminará em Jeddah, passando por desfiladeiros e falésias na região de Neom, pela costa do Mar Vermelho e muitas dunas. O percurso consiste numa etapa de prólogo e 12 etapas normais, com um dia de descanso em Riade, dia 8 de Janeiro. O percurso é composto por mais de 8.000 km ao longo de duas semanas.

Conheces as categorias? (dentro de algumas existem classes)

Os carros assumem a categoria mais importante e competitiva da prova e os modelos de destaque até ao momento foram as Toyota Hilux T1+ com motor V6 de 3.5 litros biturbo a gasolina que produz 400 cavalos e 660 Nm de binário. Pilotada por Nasser Al-Attiyah encontra-se em 1º lugar da geral. O BRX Prodrive também tem obtido resultados muito positivos com Sébastien Loeb ao volante que o colocou em 2º lugar da geral. O modelo também vem equipado com um motor de 3.5 litros V6 mas neste caso de origem Ford, com 400 cavalos e quase 700 Nm de binário.

O terceiro modelo que merece destaque é o Audi RS Q e-tron, por ser um modelo híbrido. Estão três exemplares em prova e são pilotados por Carlos Sainz, Mattias Ekström e Stefan Peterhansel, este com bastante azar. O seu motor híbrido consiste na junção de um bloco de 2 litros e 4 cilindros a gasolina, do Audi RS5 Turbo DTM, dois motores elétricos , do atual Audi E-Tron FE07 da Fórmula E, em cada eixo. O modelo produz um máximo de 671 cavalos, dependendo do regulamento do Rally Dakar. A sua bateria de 50 kWh permite percorrer cerca de 800 km.

Portugueses no Dakar – são 20, entre pilotos e navegadores.

Nos carros, Miguel Barbosa e Pedro Velosa com uma (Toyota Hilux) e Paulo Fiúza navegador de Vaidotas Zalas (Mini JCW Rally). Filipe Palmeiro e Benediktas Vanagas ao volante da Hilux T1+ sofreram um acidente mas os danos foram apenas materiais. Já nos SSV contamos com Luís Morais e David Megre (Can-Am), Mário Franco/Rui Franco (Yamaha) e Rui Oliveira/Fausto Mota (Can-Am). Nos clássicos contamos João de Almeida e Sousa e Luís Santos ao volante de um Ssangyong e nos camiões temos José Martins ao volante de um Iveco.

Para as motos estão presentes oito participantes: Joaquim Rodrigues vencedor da 3º etapa das motas (Hero), Rui Gonçalves (Sherco), Mário Patrão (KTM),  Pedro Bianchi Prata (Honda), Alexandre Azinhais (KTM), Arcélio Couto (Honda), Paulo Oliveira (KTM) e António Maio (Yamaha).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.