A Lotus vai deixar de produzir modelos a gasolina

A marca inglesa anunciou que vai abandonar a produção de modelos a combustão até 2022. Até ao final do próximo ano ainda vai ser possível comprar modelos a gasolina.

As afirmações que a Lotus fez quando revelou ao mundo o Evija, um hipercarro eléctrico com 2000 cavalos de produção limitada, eram verdadeiras. Este era o primeiro passo na maior mudança de sempre desde que foi fundada em 1952 por Colin Chapman. Mas será que a tradição do baixo peso será mantida?

Mesmo que actualmente a marca seja gerida pelo grupo chinês da Geely, durante os últimos 72 anos sempre observamos a mesma receita. Carros desportivos não muito potentes que devido ao peso reduzido, suspensões bem trabalhadas e muito conhecimento do desporto automóvel, resultam em carros brilhantes.

Segundo fontes oficiais no próximo ano será lançado o último modelo a acolher um motor a gasolina. Depois deste todos passam a ser eléctricos, mantendo a mesma proposta de pequenos desportivos. A Lotus ainda procurou uma solução híbrida que rapidamente foi afastada devido a todas as desvantagens em termos de performance causadas pelo peso, e também por todo o investimento financeiro, que depois iria evoluir para motores unicamente eléctricos.

Actualmente a aposta no eléctrico é a que mais faz sentido para a montadora visto que permite baixar o centro de gravidade e distribuir bem o peso por todo o veiculo. A propulsão eléctrica entrega ainda altos níveis de performance já que o binário é imediato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *